UFC 142: enfim Jiu-Jitsu e o Zé Aldo de sempre

0
338

Texto – Ivan Trindade
GRACIEMAG.com
Foto – Pingo de Souza

No UFC Rio 1, em agosto de 2011, houve uma grande ausência: o Jiu-Jitsu.
Em 12 lutas, aconteceram 2 nocautes, 4 nocautes técnicos e 6 decisões dos jurados; ou seja, nenhuma finalização. Quase seis meses depois, o quadro mudou bastante.
Na noite deste sábado, 14 de janeiro de 2012, foram 3 finalizações, 2 nocautes, 1 nocaute técnico, uma desclassificação e apenas três lutas num total de 10 foram para a decisão dos jurados.

Gabriel “Napão” Gonzaga, Rousimar “Toquinho” Palhares e Vitor Belfort foram os responsáveis por fazer as honras do berço do Jiu-Jitsu. Napão, na quarta luta da noite, aplicou um belo mata-leão em Ednaldo “Lula” Oliveira, em sua volta ao UFC, depois da demissão em 2010.
Já Toquinho fez o que sempre faz, apertou o tornozelo de alguém. Dessa vez, a vítima foi Mike Massenzio.

Na segunda luta mais importante da noite, Vitor Belfort não decepcionou a platéia e partiu para cima de Anthony Johnson, que por sinal sofreu a primeira derrota para a balança ao não conseguir bater o peso.

Depois de um começo equilibrado, Belfort concentrou a força que vinha da HSBC Arena mais uma vez lotada de fãs enlouquecidos e se impôs com bons socos e chutes,
Quando Johnson deu as costas para se defender, Belfort colocou os ganchos e arrochou o mata-leão. Ao americano, só restou bater.

Para fechar a noite um aqueles momentos que separam os grandes ídolos dos demais.
Para se tornar um grande ídolo, é preciso ser protagonista dos momentos que entrarão para história.
E foi isso que José Aldo fez. Após um início esquisito, com Chad Mendes partindo para cima e o brasileiro com certa dificuldade para encurtar a distância e bater, Zé precisou de apenas uma fração de segundo para vencer.

Ao soltar um abraço pelas costas que mantinha o brasileiro preso contra a grade, Mendes não contava com a velocidade de raio com que o joelho se chocou contra seu rosto. Chad já caiu meio apagado e o soco em cheio no chão só sacramentou a vitória. Então, com a mesma velocidade, o rubro-negro Zé Aldo pulou a grade do octógono e foi comemorar com a galera. Deve ter se sentido pulando na geral do Maracanã, após um golaço com passe de Zico.No mais, não se pode deixar de citar o inacreditável chute rodado que deu a vitória e o prêmio de melhor nocaute da noite para Edson Barboza Junior, que venceu Terry Etin.

Por outro lado, a polêmica ficou por conta da desclassificação de Erick Silva contra Carlo Prater, por golpes na nuca. Quase ninguém concordou com a decisão do árbitro brasileiro Mario Yamasaki.

UFC 142
HSBC Arena, Rio de Janeiro
14 de janeiro de 2012

José Aldo nocauteou Chad Mendes no R1
Vitor Belfort finalizou Anthony Johnson com um mata-leão no R1
Rousimar Toquinho finalizou Mike Massenzio com uma chave de calcanhar no R1
Carlo Prater venceu Erick Silva por desclassificação
Edson Junior nocauteou Terry Etim no R3
Thiago Tavares venceu Sam Stout por decisão unânime
Gabriel Napão finalizou Ednaldo Lula com um mata-leão no R1
Iuri Marajó venceu Michihiro Omigawa por decisão unânime
Mike Pyle venceu Ricardo Funch por nocaute técnico no R1
Felipe Sertanejo venceu Antonio Pato Carvalho por decisão unânime

SHARE
Next articleRoyler Gracie recebeu a faixa-coral na Gracie Humaitá
Jornalista colaborador da Revista Graciemag, assessor de imprensa do Bitetti FC, editor do site Meiaguarda, e apresentador do Programa Arena Meiaguarda da TV Metrópole.

LEAVE A REPLY

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.