Fagner Sinistro e a arte de fazer seu meio social num lugar melhor com o Jiu-Jitsu

0
16

Texto – Junior Samurai

O faixa-marrom Fagner “Sinistro” Cordeiro tem uma história de respeito no Jiu-Jitsu. Praticante desde 2009, Fagner é um competidor de grandes triunfos do Jiu-Jitsu cearense e hoje é um renomado professor e formador de novos campeões no projeto social Batista Vida em Maracanaú. Conheça um pouco de sua história na arte suave. “Eu era muito fã do Pride, achava o jiu-jitsu do Ricardo Arona fora do comum, daí decide conhecer o estilo”, revelou.

“Aprendi logo que não podemos subestimar nunca nenhum oponente, na época treinava com uns moleques de 14 e 15 anos, que todo treino era um carro que eu levava. Minha qualidade de vida também aumentou muito, mas o que mais me orgulho é do número de amigos que fiz e dos pequenos campeões que estamos formando”; completou o representante da equipe Rui Carlos Team, que recordou sua estreia nos tatames competitivos.

“Campeonato Cearense 2014, no SESC. um frio na espinha, um nervoso que de verdade já ia desistir, ia dá um migué e sair da área de luta, aí quando olhei pra trás, tinha uma galera, gritando e incentivando, aí foi o jeito fingir que estava com coragem e lutar mesmo. (risos). Naquele dia fiz 5 lutas, só perdendo na final”, contou.

“Nos meus primeiros campeonatos como reparei anteriormente que fui vice, fiquei sempre batendo na trave ou em terceiro, acho que muito por criar a sensação de, Ah já medalhei, tá de boa. Só que determinado dia, também lutando no SESC, nem lembro qual evento, vencí um guerreiro na semifinal e já ia pra final, na mesma vibe, aí passei pelo cara que vencí, ele me chama e fala. : Cara você luta muito, parabéns, faz um favor pra mim, tenta ganhar a final, porque eu vim com minha família e eu nunca ganhei uma
medalha. Caraca, lembro que entrei pra final com sangue nos olhos, vencí meu primeiro campeonato, o guerreiro ficou muito feliz e a partir dalí, nunca mais entrei em área de luta, só por entrar”, acrescentou o bicampeão do Desafio Ranking Meiaguarda.

Do início no esporte ao cargo de professor de Jiu-Jitsu em um projeto social, a vida de Fagner corre em paralelo com a arte suave, esporte que deu a ele a chance de ensinar o que aprendeu.

“Na verdade, nunca tinha me visto como professor, mas sim, sempre como competidor, aí o Mestre Scott Costa, aos poucos foi me fazendo dar aulas e substituindo ele em treinamentos, até que surgiu a ideia do Projeto Social, onde graças a Deus, já são quase três anos, de muitas vitórias, muitas crianças evoluindo como atletas e como pessoa, o que pra gente é o mais importante”, disse.

“Só o fato, de você saber que esta fazendo um trabalho, que está ajudando a tornar seu meio social num lugar melhor, com uma próxima geração, mais consciente e respeitadora, já é gratificante. O olhar dos pais com gratidão, também não tem preço”, prosseguiu sem esquecer a vibração com os pequenos nas competições.

“É uma sensação indescritível, você poder ver a evolução gradativa de cada um, você ver aquela criança que você começa ela do zero e de repente você esta na beira de um tatame, assistindo ela fazer tudo que você ensinou, é de uma emoção, que nada que eu diga vai poder descrever, só vivendo essa situação, para saber”, falou, já citando o legado que quer difundir entre os ferinhas.

“Assim como eu recebi uma oportunidade do Mestre Scott, de me tornar um atleta e me permitir seguir os seus passos, seria demais para mim, poder forma outros formadores, para que assim se possa formar uma corrente do bem”.

Antes de encerrar, Fagner deixou uma mensagem para o praticante de Jiu-Jitsu.

“Os grandes amigos que eu fiz, foram no jiu-jitsu e metade desses foram meus adversários, então “O adversário, não é inimigo, apenas oponente e com ele também se tem aprendizado”;

“São inúmeros os amigos e apoiadores mas tem pessoas que valem muito a pena salienta. Mestre Scott Costa, cara que me formou até quase a preta, Mestre Elinor e mais recentemente meu grande amigo e parceiro Rui Carlos, que esta me apoiando muito nessa transição e ao grande amigo Jr. Samurai, que sempre está ligado no nosso jiu-jitsu e é um grande apoiador”.

Projeto Social Batista Vida
Endereço – Avenida A nº 670 – Jereissati III, Maracanaú
Contato – 85 9907-5321

SHARE
Previous articleNOTA OFICIAL: Fortal Cup acontece nos dias 14 e 15 de agosto
Jornalista colaborador da Revista Graciemag, assessor de imprensa do Bitetti FC, editor do site Meiaguarda, e apresentador do Programa Arena Meiaguarda da TV Metrópole.

LEAVE A REPLY

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.